Breve apresentação

 

O problema que o livro de Vernant procura solucionar é o de compreender a ruptura que aconteceu na história dos povos gregos no século XII. Ele vinham se desenvolvendo de modo sempre muito similar ao dos povos do Oriente Próximo, e a partir do século XII começaram a se afirmar como uma cultura independente e diferente, o que os levou ao surgimento da filosofia e da democracia.

Historiador e mitólogo famoso, Vernant examina esse processo relacionando o pensamento religioso dos gregos antigos, de tipo mágico-mitológico, com as alterações nos valores e na mentalidade desse povo nos âmbitos político, jurídico, econômico e militar. Mostra de que modo essas alterações fizeram nascer e se opor a esse pensamento mágico-mitológico a nova forma de pensar racional e filosófica, acentuando a influência do processo de democratização nisso, processo levado mais longe em algumas cidades (sobretudo Atenas) do que em outras.

O livro coloca os campos da política e do direito como as principais fontes de origem da filosofia filosofia, que teria nascido sob a forte influência das transformações nesses campos, bem mais do que diretamente de uma racionalização interna do próprio discurso mitólogico.

rodapé