Crítica crítica: Proudhon

critica-critica--proudhon_mini.jpg
4

Marx, Karl / 2003

texto selecionado de livro

Breve apresentação

 

Crítica crítica na condição de quietude do conhecer é o capítulo IV (o mais famoso) do livro A sagrada família, de Karl Marx e Friederich Engels. Neste livro (de 1845), que trata do uso do método dialético em filosofia política, os autores marcam sua ruptura com a tendência dos jovens hegelianos da qual faziam parte - e para isso criticam, com sarcasmo e agressividade, cada um dos principais membros dessa tendência.

O capítulo IV é escrito por Marx, e tem um subtítulo: A "Crítica crítica" segundo o senhor Edgar - porque nele, o alvo principal é o jovem hegeliano Edgar Bauer. Marx, neste capítulo, examina alguns textos críticos publicados por ele. Faz a crítica das críticas escritas por Bauer, daí o jogo de palavras que utiliza no título do capítulo.

O capítulo, subdividido em quatro tópicos, tornou o livro famoso porque o tópico 4 trata das críticas de Bruno Bauer a Pierre-Joseph Proudhon - primeiro grande teórico do anarquismo, e o mundialmente mais famoso de todos os autores socialistas na época. Na verdade, o que trouxe fama a este capítulo foi o fato de Marx defender Proudhon contra uma leitura crítica distorcida - realizada pelo jovem hegeliano Edgar Bauer segundo um ponto de vista que ele batiza de "Crítica crítica". E o que chama a atenção nessa defesa de Proudhon é que Marx, depois, passou a escrever sempre contra Proudhon, e inclusive seus textos mais agressivos contra adversários são justamente contra ele.

 

 

 

rodapé